Curiosidades sobre o Butão, país da felicidade

A palavra Butão significa no idioma local “Terra do Dragão”.

O nome oficial do país é Reino do Butão.

O dragão no centro da bandeira butanesa (imagem acima) representa o nome do Butão em tibetano, que é “Terra do Dragão”. Enquanto o laranja representa a religião budista, o amarelo representa a monarquia secular.

A capital e maior cidade do país é Thimphu. Um detalhe: é a única capital do mundo que não é servida por nenhum aeroporto.

A maioria dos butaneses fala o dzonga, uma língua da família tibetana.

Os butaneses valorizam bastante o meio ambiente. Tanto que mais de metade do país (60%) é coberto por florestas protegidas.

O Butão e a Tailândia são os últimos reinos budistas do mundo.

O Butão foi o primeiro país do mundo a banir totalmente o tabaco. Acredite se quiser, mas vender cigarro é considerado crime no pequeno reino do Himalaia, mas não se estresse, você pode levar o seu cigarro durante a viagem.

A entrada de turistas é totalmente controlada pelo Estado. Ou seja, o estrangeiro que quiser viajar para o Butão precisará de autorização do governo local. O roteiro deve ser programado e totalmente pago com antecedência.

O Butão era até recentemente um dos países mais isolados do mundo. Só para se ter uma idéia, ele só começou a construir estradas na década de 1 960. A primeira transmissão televisiva butanesa, então, só ocorreu em 1 998!

Uma das imagens mais comuns no país, seja em pinturas ou esculturas, é a do pênis. É possível encontrar desenhos do órgão sexual masculino até na entrada das residências mais simples. O motivo: os butaneses acreditam que ele afasta os espíritos ruins. O falo é também um símbolo de fertilidade e boa sorte.

Outro fato bastante curioso: pés de maconha são encontrados em tudo quanto é lugar no Butão, seja nos jardins das residências, beira de estradas ou plantações para “fins recreativos”.

O principal alimento do povo butanês é o arroz, presente em todas as refeições. O que chama a atenção dos turistas que visitam o país – sobretudo europeus – é a quantidade de pimenta nos principais pratos. Eles são extremamente picantes. Outro hábito que causa estranheza é comer com a mão (sempre a direita, uma vez que a esquerda é considerada impura).

Para quem visita a região, uma das principais atrações é a arquitetura local: os prédios e casas do país são verdadeiras obras de arte, com diversas pinturas de dragões, desenhos de flores, portais e rodas da sorte. Conheça, a seguir, outros fatores que fazem do Butão um excelente país para visitar nas suas próximas férias.

10 razões para conhecer o Butão

1- Isolamento

Butão é um país que parece ter parado no tempo, resistindo a todas as transformações do mundo globalizado. Em seu território, você não encontrará nenhuma rede de fast-food, outdoor com grandes marcas ou qualquer outra imagem comum em países do Ocidente. Esse isolamento faz com que o país tenha um cenário único, que pode ser visto tanto nas roupas como nos costumes e na arquitetura.

2- Turismo guiado

O turismo é uma das principais atividades econômicas do Butão. Por isso, é possível encontrar diversas opções de passeios turísticos guiados e personalizados de acordo com suas exigências e preferências.

3- Pessoas

A população do Butão, apesar de suas dificuldades financeiras, é incrivelmente amigável, respeitosa e hospitaleira. Em geral, o turista é tratado como um convidado de honra dos butaneses, que fazem de tudo para agradar e causar uma boa impressão.

4- Gross National Hapiness ou Felicidade Interna Bruta

Criado pelo rei Jigme Singye Wangchuck, em 1972, o Gross National Hapiness serviu como resposta às duras críticas que a economia do país recebia. Este índice tem o objetivo e assume o compromisso de construir uma economia adaptada à cultura do país, baseando-se nos valores budistas.

O conceito de Felicidade Interna Bruta (FIB) aponta que o verdadeiro desenvolvimento de uma sociedade humana surge quando o desenvolvimento espiritual e o material são simultâneos. Nesse sentido, os pilares do FIB são: desenvolvimento educacional para inclusão social, preservação e promoção dos valores culturais, resiliência ecológica com base na sustentabilidade, preservação dos valores garantindo a vitalidade comunitária, saúde, potencialização do padrão de vida e diminuição da jornada de trabalho visando o tempo livre e lazer.

5- Natureza

Butão possui paisagens de tirar o folego: são diversos rios de água cristalina, montanhas com picos nevados e florestas recheadas de animais — incluindo alguns que, até pouco tempo, eram considerados “mitos”, como o panda vermelho. Estima-se que mais de 70% do território do país esteja preservado.

6- Festivais e Cultura

Além da beleza natural, um dos maiores atrativos do Butão são os festivais culturais que trazem danças e músicas tradicionais da região. Entre os diversos festejos, destaque para o Thimphu, que acontece no início do mês de outubro e atrai muitos turistas.

7- Roupas

Ao desembarcar no país, é possível que você se sinta em outro mundo, uma vez que as roupas dos butaneses são bem diferentes e coloridas. Os homens se vestem com o Ghô, uma espécie de Kimono feito de algodão e bordado, que vai até a altura dos joelhos. Nas fortalezas, utiliza-se um tipo de echarpe de algodão bruto que simboliza o serviço civil. As mulheres, por sua vez, usam a Kira, uma roupa que lembra uma canga no corpo e é complementada por uma blusa e uma echarpe.

8- Templos e fortalezas

Para conhecer os imensos templos e fortes de Butão, turistas do sexo masculino precisam vestir calças compridas, enquanto as mulheres devem cobrir os ombros e pernas em sinal de respeito à bandeira Butanesa. Considerados verdadeiras obras de arte, os fortes são todos feitos em madeira, com muitos detalhes e pinturas à mão. Seu interior é um labirinto, que era usado como estratégia de defesa contra invasões. Um dos templos mais famosos é o Ninho do Tigre, que tem uma beleza indescritível e fica localizado na borda de um penhasco perto da cidade de Paro.

9- Comida

Os butaneses se alimentam principalmente de arroz montanhês, batata e pimenta. Pratos como Ima-Datzi (pimentas cozidas com queijo), Kewa Datzi (batatas, pimenta e queijo) são alguns destaques do país, e podem trazer uma explosão de sabores. Outra receita bem apreciada pelos habitantes do local é a suja, um chá temperado com sal e que lembra uma sopa. Assim como na Índia, os butaneses jamais tocam na comida com a mão esquerda, pois esta mão é utilizada para higiene pessoal.

10- Espiritualidade

Em Butão a espiritualidade está em todas as coisas. Todos os locais sagrados do país possuem tapetes para a prática da meditação e do agradecimento, sempre com a presença de incensos para deixar o ambiente ainda mais tranqüilo. Uma vez que a principal religião dos butaneses é o budismo, que inspira a calma e a felicidade, trata-se de um lugar capaz de trazer paz interior ao turista.

Fontes: Wikipédia, Superinteressante, G1, Nômades Digitais, Adventure Club  e Mais Curiosidades.

Conheça o Butão com a Indo Ásia Tours.

Mais informações com

logo indoasia15[2]

Nepal, que surpresa maravilhosa

Nepal

Minha primeira viagem à Ásia foi em 2011.  Eu poderia ter viajado para a Europa, América do Norte mas optei em ir com minha amiga Andrea Ribeiro para o Nepal.

A maioria dos nepaleses são hindus, cerca de 80%, mas o 10% que é budista tem uma presença forte, com muitos templos e monges rondando o país.

Nossa viagem seria de aventura mas havíamos bucado o Dwarika’s Hotel para os dois primeiros dias, o que nos dava uma certa tranquilidade até decidirmos o que fazer. Procuramos bucar um bom hotel para que pudéssemos descansar da viagem e ter um fôlego para procurar outros mais simples para o restante da viagem. Conseguimos uma promoção e, pronto, ficaríamos em um dos melhores hotéis de Katmandu.

Na chegada, que surpresa! O Hotel era um espetáculo. Arquitetura simplesmente maravilhosa, um elegante conjunto formado por uma antiga vila nepalesa, um prédio cercado de jardins de tijolo à vista e madeiras entalhadas.

P1120094-thumb-800x450-99128
Dwarika’s Hotel

A recepção muito simpática, com um suco gelado e um sorriso. Estávamos cansadas, mas ansiosas para ir para a cidade e tratamos de tomar um banho e correr para a rua…Fomos andando, sem rumo e, mais uma surpresa boa, o hotel ficava super próximo ao centro de Katmandu.

A Déia, minha amiga já havia estado no Nepal mas eu,  não tinha idéia do que ia encontrar.

Pirei quando avistei  às Durbar Square, praças magníficas com suas arquiteturas incríveis. É imperdível visitar tanto Kathmandu como em duas cidades vizinhas, Patan e Bhaktapur.

nepal-patan-mangal
Durbar Square

O povo? Muito educado e amável.

Queríamos manter contato com os nativos e lá fomos nós até a Thamel, Centro da Cidade, lá encontramos  Rajendra, um nepales simpático. Estávamos em Durbar Square, uma multidão começou a vir de todos os lados e não entendíamos o que estava acontecendo. Havía musica, um colorido e um clima mágico. Perguntamos ao Rajendra o que estava acontecendo e para nossa surpresa ele disse, sem alterar a voz ou expressão: “É a comemoração do Ano Novo no Nepal” Que sorte a nossa, sem saber, estávamos no centro das comemorações do Ano Novo.

215238_218134588202899_630668_n
A multidão subia nos templos para ver a procissão de pessoas em comeoração ao ano novo

Ficamos curtindo esses momentos e falando da nossa alegria em estarmos no meio do povo e que queríamos ficar em uma casa de nativo, Rajendra nos olhou e disse “eu levo vocês até o  povoado em Gorka, onde nasci, onde vocês poderão ver o Monte Manaslu.

E decidimos fazer isso..

P1050145
Manaslu

Quem iria nos acompanhar na verdade era o irmão do Rajendra, o Krishna.. Pensei…”olha o nome dele, nome de Deus indiano”..

Krishna era muito jovem mas tinha um olhar doce e era muito atencioso conosco.

Foram horas de viagem até Gorka, em umônibus, saindo de Kathmandu.  O veículo parava enquando um rapaz, com o corpo quase que totalmente para fora do veiculo, gritava “Gorka, Gorka”…. e à cada parada subiam e desciam passageiros. Aquilo para mim foi surreal… Um caminho de 150km, durou quase 7 horas. Mas muitas surpresas boas nos aguardavam.

Gorka –a cidade intocada e cativante do Nepal! é uma cidade pobre, mas surpreendente.

Sobre Gorkha – Cerca de 300 anos atrás, Nepal foi dividido em 50 estados pequenos e Gorkha era um deles. A cidade tem um palácio  no topo de uma colina a uma altitude de 4.329 pés (cerca de 1.320 metros)  . Um lugar lindo, onde são realizados rituais.

ANE-14-A01H
Gorkha Palace is perched on a hill beneath massive Manaslu and Himalchuli Peaks in Nepal. ©Ric Ergenbright

Em Gorkha vivemos momentos muitos especiais, com a família Lamichhane e as crianças do vilarejo.

Quando chegamos várias pessoas apareceram para nos saudar, entre elas crianças que dançaram para nós e com quem eu pude dançar também e rir.

216541_219701281379563_7588842_n
As crianças de Gorka e a mãe do Khrisna no primeiro palno

As 6 horas da manhã do outro dia, quando acordamos as crianças já estavam na nossa porta nos aguardando.

Nunca mais esqueceremos dessas pessoas especiais.

Saimos de Gorkha e fomos rumo a Pokhara, há 25 km, um paraíso a beira do lago Pewa.

Indescritível essa imagem abaixo, que retrata o Lago Pewa, parte do povoado e  o Monte Anapurna. Nós não conseguimos ver esse azul, nem a imagem refletida no lago mas, por tudo que vivemos lá nos poucos dias, temos uma certeza: Temos que voltar…

fewa-lake-pokhara-nepal_1280x720_74044
Pewa Lake em Pokhara

PARQUE CHITWAN

Chitwan é famoso como um dos melhores parques nacionais de visualização de animais selvagens na Ásia e você terá uma excelente chance de ver rinocerontes de um chifre, veados, macacos, elefantes e centenas de espécies de aves. Poderá ainda,ver leopardos, elefantes selvagens e ursos preguiça – mas sorte mesmo vai ter se puder avistar um tigre de Bengala real majestoso .

Você poderá andar de elefantes, dar banho neles e ver um monte deles na rua, pela cidade.

Experimente o Diferente, conheça e se apaixone pela Ásia

elephant-safari-01

Visite o Nepal com a:

Captura de Tela 2016-07-25 às 18.38.04

A empresa que mais entende de Ásia no Brasil

Preparando a Viagem para Índia

O-que-Levar-para-Viagem-de-3-Dias

QUAIS DOCUMENTOS SÃO NECESSÁRIOS PARA INGRESSAR NA ÍNDIA:

1-  Verifique o passaporte e a sua validade. Seu passaporte precisa ter validade de no mínimo 6 meses da data da viagem. Essa regra é válida para a maioria dos países.

2- Você precisa ter o certificado internacional de vacina contra febre amarela para entrar na Índia? A vacina precisa ser administrada no mínimo 10 dias antes da viagem e após esse procedimento, é necessário retirar o certificado de vacinação. Um dica é grampear o certificado no Passaporte assim fica fácil de apresentá-lo e de não perder.

Confira aqui os postos de vacinação que possuem a vacina contra febre amarela:

Para a emissão do “Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia” (CIVP), você deverá procurar os Centros de Orientação à Saúde do Viajante, levando o seu documento de identificação oficial com foto. Clique aqui para verificar os locais que emitem o Certificado Internacional de Vacinação da Febre Amarela.

certificado-internacional-vacinacao-profilaxia-passaporte-brasileiro-cópia-1024x575

A via-crúcis do viajante tem duas etapas:

1) A vacinação, que pode ser feita num posto de saúde da rede municipal ou da rede privada (na rede pública a vacina será gratuita; numa clínica privada, será cobrada);

2) A emissão do certificado, que pode ser feita nos postos oficiais da Anvisa (em alguns aeroportos e lugares de fronteira) ou em alguns postos de saúde habilitados.

O melhor a fazer é juntar as duas coisas num só lugar: escolher um posto de rede municipal ou privada que administre a vacina contra febre amarela e esteja credenciado para emitir o certificado na hora. Para achar um na sua cidade, consulte a lista abaixo, desconsiderando todas as opções marcadas como “Anvisa” (estas só servem para emitir o certificado para quem já tomou vacina num posto que não emita certificado).

*Uma dica: Você pode também fazer o cadastro antecipado no site do Ministério da Saúde.

Antes de se dirigir ao posto, faça um pré-cadastro no site da Anvisa (clique em “cadastrar novo”): ele será necessário para a emissão do certificado internacional, e nem sempre dá para contar com um computador disponível num posto público.

E nunca esqueça que a vacina precisa ser tomada com 10 dias de antecedência à viagem para ter validade.

Não tem emissor de certificado na minha cidade, como faço?

Caso você more numa cidade sem lugar credenciado para emitir o certificado internacional, informe-se junto à rede municipal de saúde onde a vacina é oferecida, vacine-se, guarde o certificado nacional e, na primeira oportunidade, leve a um posto da Anvisa numa capital ou cidade próxima para trocar o certificado nacional pelo internacional.

3 – Visto de entrada no País: A Índia permite uma modalidade muito interessante de Visa para turista, o E-TV, ou visto eletrônico de 30 dias. Recomendamos as dicas da Embaixada da Índia no Brasil.

As informações sobre a exigência de vistos a brasileiros para ingresso em outros países devem ser obtidas nas representações diplomáticas dos respectivos destinos ou no site do Ministério das Relações Exteriores: www.portalconsular.mre.gov.br.

4 – Voucher de Viagens e Bilhete Aéreo: Verificar se todos os dados pessoais estão corretos nos documentos de viagens, como bilhete aéreo (o nome do passageiro deve ser exatamente o que consta no passaporte), seguro, vouchers das hospedagens, ingressos e transportes já contratados no Brasil.  Separe-os em uma pasta fácil de acessar, por ordem cronológica

5- Visto, passagens, reserva de hotel e roteiro nas mãos, é hora de guardar tudo na pasta. Imprima tudo que achar que vai ser necessário para sua viagem, e coloque na pasta que você separou para sua viagem,  antes de tudo o meu passaporte, depois vá anexando papelada de hotel, passagens, dicas, roteiro, etc…

mala_funcional

Dicas para arrumar a mala

Quando o assunto é preparar a mala de viagem, a aflição toma conta, até mesmo dos mais habituados a viajar. Nessa hora, economizar espaço é fundamental. É preciso equilibrar as roupas na bagagem de acordo com sua programação, além de escolher as peças certas para o clima do seu destino. Por isso, separamos algumas dicas que te ajudarão no momento de arrumar as malas para a viagem tão esperada!

Veja como é possível fazer uma mala e não ultrapassar o peso limite:

Antes de tudo confira a previsão do tempo que fará na cidade para onde vai viajar,  isso facilita sua decisão do que levar e dessa forma você filtra da maneira correta o que levar na bagagem.

 O ideal para viagens de avião é ter uma mala para despachar e outra de mão para levar coisas essenciais e de preferência o que será usado durante o voo.

Leve uma mala de mão que seja fácil de carregar. (Opte por malas pequenas de acordo com a regra da companhia aérea). A mala deve caber embaixo do assento ou nos compartimentos acima das poltronas e é importante que ela não incomode os passageiros ao lado.

Seja uma viagem longa ou curta, o ideal é colocar alguns objetos essenciais na mala de mão:

  • Remédios para dor de cabeças ou outros problemas (de acordo com o estado do passageiro).
  • No avião os líquidos devem ser transportados com uma capacidade máxima de 100 ml cada, em embalagens individuais na bagagem de mão. É necessário guardá-los em bolsas plásticas transparentes.
  • Escova e Pasta de dentes (escolha produtos com tamanhos pequenos para facilitar e diminuir o peso da mala)
  • Uma muda de roupas (para possíveis imprevistos, e eles acontecem!)
  • Câmera Fotográfica, Ipod, Notebook (para não ter perigo de quebrar por acidente)
  • Celular
  • Máscara de dormir (opcional do passageiro)
  • Objetos pessoais de valor (jóias ou Relógios)
  • Passaportes, documentos e reservas
  • Uma blusa de frio (caso a temperatura do ar condicionado do avião incomode)

Preencha sua mala de acordo com a programação de viagem. É legal saber o que fará durante a hospedagem e para onde pretende ir. Viaje com essa certeza, facilitará e muito a preparação da mala e também é uma forma de levar o que realmente importa para viagem.

Na arrumação das peças coloque as mais pesadas em primeiro lugar, de preferência no fundo da mala. As calças devem ser dobradas pelo vinco. Ajeite as peças de uma forma que economize os espaços. Um exemplo é colocar as calças no sentido inverso.

  • Depois de arrumar as peças pesadas, coloque as camisetas, se tiver blusas, escolha as mais leves, para contrapor os colarinhos e golas.
  • Dobre as camisas numa linha abaixo da cintura. Fará que a marca da dobra fique pra dentro da saia ou da calça na hora de usar.
  • Esquecer algum item é normal, para evitar esse tipo de problema, deixe um espaço em branco na mala para uma possível lembrança. Caso não ocorra a lembrança, pense que já terá um espaço sobrando para possíveis compras.

Ainda nas roupas procure escolher as mais sutis, elas combinam com qualquer clima, a opção é a escolha das roupas sem muitas estampas, elas só combinam com um clima específico.

É importante a escolha de peças e tecidos que não amassam. Na chegada do hotel, pendure as roupas em cabides, pode ser no banheiro durante o banho, pois o vapor tira as dobras.

A dica da personal organizer é pensar sempre em peças que podem ser usadas mais de uma vez e que combinam com várias coisas. “Por exemplo: uma calça jeans, ou um leg podem ser usados umas três vezes, então, leve-os com três camisas. Desta forma você já tem três looks montados”, diz. “Peças básicas e com cores neutras também ajudam a fazer a combinação”, acrescenta.

“O mesmo pensamento vale para os sapatos: leve pares básicos, confortáveis, que combinem com a estação, assim você pode usá-los mais de uma vez e evita levar a sapateira inteira”

Revise sua mala, dessa forma você ajusta aos poucos o que levar e confere se colocou algumas coisas a mais ou a menos. Se tiver esse tipo de preocupação, você vai arrumar corretamente a sua mala e viajará sem dor de cabeça.

10° Depois de revisar, não se esqueça de etiquetar as malas. Nas etiquetas devem ter o nome completo, telefones, hotéis. Não esqueça de comprar o cadeado e testá-lo com antecedência. Se for com senha, não esqueça de anotá-la em algum lugar fácil  de resgatar.

Agora é só colocar em prática nossas dicas e aproveitar sua viagem!

images

Ásia – Prontos para embarcar nessa viagem?

Prontos para embarcar, para os destinos mais fascinantes do continente asiático?

Não há dúvida de que as pessoas gostam de visitar novos lugares e descobrir os melhores destinos no mundo para escapar e experimentar uma forma diferente de vida. Se você tem um desejo de conhecer lugares incríveis e ganhar experiência maravilhosas durante a viagem, então você deve considerar uma viagem à Ásia.

A Ásia nos convida diariamente a conhecer o novo e ampliar o olhar para o desconhecido sem medo. A cultura de cada país desse continente é singular e rica em detalhes super interessantes e é isso o que move a nossa curiosidade.

Vamos nessa?

“A cara da Índia”  by Andrea Ribeiro

logo 

A empresa que mais conhece de Índia no Brasil